O que é a hipnose e como funcionam as consultas de hipnoterapia?

31959980_1599979976789059_4000460654073872384_n
A hipnose refere-se a um estado alterado de consciência, que se atinge geralmente através da combinação da imaginação e da concentração da atenção, mas também do desejo de envolvimento do sujeito, disponibilizando-se para imaginar determinadas situações e reagir-lhes emocionalmente, com a finalidade de haver um reprocessamento terapêutico dessas mesmas situações, emoções ou sentimentos (ressignificação).

Em hipnoterapia este estado é induzido com uma finalidade terapêutica, sendo útil no caso de modificações comportamentais que são desejadas, como gestão emocional e controlo da ansiedade, fobias e pânico, em situações físicas de mal-estar e doença e controlo de sintomas como a dor crónica. Serve também numa perspectiva de desenvolvimento pessoal e de fortalecimento do ego e da autoconfiança.

A hipnose é um estado alterado de consciência no qual o cérebro passa a funcionar dominantemente com ondas alfa. Esta frequência do funcionamento cerebral está associada aos estados de profundo relaxamento como a meditação e o sono. Num estado superficial e intermédio de transe (denominação utilizada para designar a pessoa hipnotizada), o sujeito mantém-se consciente e alerta, mas a sua atenção está intensamente focalizada no seu próprio interior, ou seja, na sua actividade mental e fisiológica.

A maioria das teorias científicas actuais consideram que no estado de transe os hemisférios cerebrais atingem uma excelente capacidade de comunicação entre si, facilitando a troca de material psíquico e simbólico entre o consciente, o pré-consciente e o inconsciente. A acessibilidade ao inconsciente torna-se mais fácil e a própria pessoa consegue dialogar com o seu inconsciente de uma forma que não seria possível em estado de vigília.

Como se processa uma consulta de hipnoterapia?

Numa primeira consulta a pessoa que procura a terapia é convidada a apresentar a sua situação e o terapeuta recolhe todas as informações necessárias para a compreensão do quadro clínico ou do problema que a pessoa apresenta, bem como aquilo que pretende com a terapia. O terapeuta dará então um feedback do que é possível realizar com a hipnoterapia.

O procedimento específico inicia-se quando o terapeuta convida o paciente a fechar os olhos e a relaxar. Este procedimento pode ocorrer com o paciente sentado numa cadeira ou deitado numa marquesa, consoante este se sentir mais confortável. Lentamente, o paciente é conduzido a relaxar cada vez mais, e quando atinge o estado mental adequado, o terapeuta e o paciente trabalham no sentido da resolução do problema identificado. Durante toda a sessão o paciente estará perfeitamente consciente e ouvirá a voz do terapeuta como qualquer pessoa em estado de vigília que fecha os olhos e ouve alguém a falar.

Nesse estado de relaxamento e tranquilidade, o terapeuta pode solicitar ao paciente que ele imagine determinadas situações. A capacidade da mente humana para imaginar situações reais, imaginadas ou fantasiadas, é uma ferramenta de grande utilidade na hipnose, pelo que quando maior for esta capacidade, melhor é a perspectiva de sucesso da intervenção.

Os tratamentos ou intervenções com a hipnoterapia são geralmente breves. O número de sessões requeridas depende da problemática apresentada e do grau de adesão (consciente e inconsciente) do sujeito às solicitações do terapeuta.

A maioria das intervenções implica a frequência nas sessões de hipnoterapia com uma frequência semanal ou quinzenal. Quando se atingir uma mudança no estado emocional e mental do paciente, podem espaçar-se as sessões para três semanas ou um mês até que se possa dar por concluído o processo terapêutico.

Em que situações a hipnoterapia pode ajudar?

– Perturbações de ansiedade
– Perturbações de stress
– Perturbações de pânico
– Perturbações do humor
– Perturbações do sono
– Perturbações obsessivo-compulsivas
– Perturbações da aprendizagem
– Perturbações psicossomáticas
– Perturbações da auto-estima
– Perturbações do comportamento alimentar
– Perturbações da sexualidade
– Perturbações da fertilidade
– Fobias

A hipnoterapia pode também ser utilizada no âmbito do desenvolvimento pessoal, autoconhecimento e bem-estar, ajudando qualquer pessoa (com ou sem psicopatologia) a potenciar as suas capacidades e a melhorar o seu estilo de vida, como por exemplo nos casos de:

– Deixar de fumar/desabituação tabágica
– Modificação de hábitos alimentares e emagrecimento
– Potenciação de competências cognitivas (memória, atenção, concentração, criatividade, etc.)
– Potenciação da autoestima
– Modelação do comportamento
– Treino de assertividade
– Relaxamento e redução do stress
– Controlo da dor
– Autodescoberta

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s