“As relações servem para nos fazer felizes”

Este pensamento leva à expectativa (e à ilusão) de que a outra pessoa deve ser responsável pela forma como nos sentimos e que tem a obrigação de nos dar o que queremos ou achamos que precisamos. Ninguém deve ter o propósito de nos fazer felizes, satisfazer todos os nossos critérios e caprichos. Podem querer fazê-lo … Continue a ler “As relações servem para nos fazer felizes”

Espectro da felicidade

O que mais pergunto às pessoas é o que elas precisam ou procuram. As respostas que mais oiço são: "Quero ser feliz! Ou então: "Quero paz interior". Eu própria, toda a vida, quando via uma estrela cadente ou me pediam para fazer um desejo, sempre pensava para mim mesma que resposta poderia ser mais abrangente, … Continue a ler Espectro da felicidade

Níveis ou patamares de consciência

Costumo comparar o nosso progresso ou evolução com o jogo do Super Mário. Quem lembra? Da mesma forma que o bonequinho ou a personagem tinha de chegar ao final de cada nível, ia tendo desafios pelo caminho. Umas vezes apanhava uns cogumelos e crescia um pouco e ficava mais forte mas ao mesmo tempo também … Continue a ler Níveis ou patamares de consciência

Pessoas Mestre

Aquelas pessoas que nos ensinam, ainda que não da melhor forma: o namorado agressivo, paranóico, obsessivo, ciumento, etc. o pai alcoólico e violento ou ausente a mãe dependente, fria ou castradora a amiga egocêntrica, crítica ou que cobra afeto e atenção ao professor ou professora que rebaixa, desdenha, envergonha ou humilha aos vizinhos coscuvilheiros, maledicentes … Continue a ler Pessoas Mestre

Eu futuro

Pessoalmente gosto de acreditar na ideia de que existe uma linha de tempo imaginária, transversal, onde passado, presente e futuro existem em um só ponto do aqui-agora e que tudo está a acontecer neste preciso momento. Quando fazemos "regressões" penso que mergulhamos nessa linha, ou melhor, "acedemos" a essa linha, como se sintonizássemos uma frequência, … Continue a ler Eu futuro