Amor desafio e amor segurança

decision-1697537_960_720

Há quem diga que amor é só um e ponto, mas eu gosto de criar definições, de ver os vários lados de um conceito ou ideia, decompondo-os. Somos humanos, somos duais, como tal não conseguimos experimentar o famoso e infame amor incondicional a todas as horas e a todos os momentos por todas as pessoas e seres que se cruzam no nosso caminho. Isso é viver num plano que não é o desta terra. Nós, simplesmente, não estamos lá. Não é possível ou tão fácil assim.

Nós criamos expectativas que queremos ver correspondidas, temos necessidades que queremos ver satisfeitas. Somos uns pedintes no amor, na verdade. Queremos tudo, tal como tivemos nas barrigas das nossas mães, onde era seguro, cuidavam de nós, éramos nutridos, e vivíamos de forma fusional com outro ser. Ora a primeira ferida é a da separação, quando nascemos (ou quando há a cisão da mónada). No fundo, quando somos “arrancados” do útero materno ou celestial, e somos colocados na vida, na terra, a experimentar os vários sentimentos e emoções, unicamente nossos.

Fica uma confusão. Atribuímos, ao princípio, toda  a responsabilidade do nosso sofrimento no exterior: “o pai é mau, a mãe é má. Não me dão o que eu quero! Sempre e a todas as horas do dia!”. Logo aí há a primeira desilusão. “Dantes tinha tudo, agora esse tudo é-me retirado cruelmente. Não gostam de mim…”. Ferida da rejeição. “Agora não. Agora não tenho tempo, agora não posso. Não sejas assim, não faças isso. Sê mais como o teu irmão ou irmã” e outras interjeições destas levam a criança sentir-se ferida e rejeitada, ainda que essa não seja a intenção dos pais/cuidadores.

E o que isto tudo tem a ver com o tema do texto? O amor desafio é aquele que nos faz crescer, a duras penas. Que nos faz entrar em confronto com as nossas feridas, para que as possamos ver e para que as possamos tratar e cuidar. Há quem não o queira fazer, e é justo. Dá trabalho, é doloroso, fere o nosso ego e, por consequência o nosso orgulho. Percebemos que somos falíveis, vulneráveis. Faz-nos constatar a pequenez do nosso ser. “Afinal não podemos ter tudo sempre como queremos. Afinal temos de crescer, assumir as nossas feridas, dores e mazelas, e elevá-las a outro patamar”. “Mas eu quero que tudo seja como eu imaginei ou idealizei!”, diz o pequeno ego.

Então há duas opções: ficar ou partir. O amor desafio não tem regra, não tem rotina, não tem roteiro fixo. É desafio constante, é mutável, assume várias formas e contornos. É volúvel. Tem várias faces. O amor segurança é o amor que a maior parte das pessoas escolhe, sem saber. Vive do que é conhecido, do que é estabelecido, do que é seguro e confortável. Mantêm as aparências, segue um roteiro predefinido, é previsível e obedece a regras e expectativas.

Quando digo que o amor desafio tem várias faces, é porque se mostra de variadas formas, nos variados desafios. Se não que ser desafiado, não siga este caminho. Se não gosta de ser confrontado, se não gosta de ser visto a todas as cores, fuja a sete pés. Escolha o amor segurança, onde é tranquilo e ninguém o contesta, onde é raso até onde se vai em termos de sentimentos e emoções. Não há o medo da perda, o medo da rejeição, da traição ou perda de interesse. Há apenas protocolo e convenção social. Só precisa dar a cara e fazer a rotina normal, não se questionando até onde está a ir, se quer ir por ali ou gosta de estar ali. Tudo é tomado por garantido.

O amor desafio é uma estrada esburacada por onde seguimos aos solavancos sem ter muito bem a certeza onde estamos a pisar e para onde estamos a ir. Mas uma coisa é certa, o caminho é para a frente. Não é confortável, mas chegamos a destinos que não são conhecidos pela maioria. Vemos paisagens e temos acesso a sentimentos que não parecem ser deste mundo. Mas há que trabalhar. Há que escavar fundo onde em nós falta amor e confiança, onde existe dor e incerteza. Para poder crescer, só assim.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s